Quem cuida do condomínio?

Quem cuida do condomínio?





Para que tudo funcione no condomínio, é preciso dedicação. Mas quem é o responsável por isso? Quem cuida do condomínio? Entenda.


Afinal, quem cuida do condomínio?


Para uma pergunta simples, uma resposta mais simples ainda: Todos!


Não há apenas um responsável por “cuidar” do condomínio.


O papel do síndico, da administradora, dos conselhos, dos funcionários e moradores são primordiais.


Mas ninguém consegue dar conta do recado sozinho.


Um precisa do outro pra tudo funcionar bem.


Você concorda que pro sucesso de uma orquestra é necessário bem mais que um maestro competente, instrumentos afinados, músicos experientes, acústica perfeita e plateia pra aplaudir de pé?


Sem partituras, muito ensaio e dedicação, os espetáculos não agradam ao público.


O mesmo vale para o caso de um condomínio.


Quando cada um faz bem a sua parte e de forma disciplinada, a estrutura é mantida em ordem, as contas ficam em dia e todos podem usufruir dos benefícios da vida em comunidade.


Quem cuida do condomínio e o que cabe a cada um dos envolvidos


Como todos sabem, o síndico é o representante legal do condomínio e isto está previsto no Código Civil.


Ele tem determinados poderes e são dele, responsabilidades fundamentais como:


- Elaborar orçamentos;


- Prestar contas nas assembleias;


- Administrar funcionários;


- Contratar prestadores de serviços;


- Cobrar as unidades condominiais que estejam inadimplentes quanto às taxas mensais;


- Estar muito atento ao cumprimento da convenção;


- Conhecer bem o regimento interno para garantir que todas as iniciativas estejam de acordo.


Isso sem falar das ocasiões em que ele é chamado para apaziguar conflitos, esclarecer mal entendidos e se comunicar devidamente, esclarecendo eventuais dúvidas e questionamentos.


Por isso é que muitos síndicos são unânimes ao avaliar que a maior parte do tempo deles é utilizada para a gestão dos relacionamentos interpessoais.


A vida do síndico não é fácil, como muitos imaginam.


Tanto é que, dificilmente, hoje em dia, ainda existam condomínios que não contem com a contratação de uma administradora pra dar suporte aos serviços das questões financeiras e burocráticas.


Esta, por sua vez, às vezes, designa alguém para atuar como gerente condominial, que desempenha os serviços de administração e manutenção.


Mas este não tem poder de decisão em assembleias.

Clique aqui e solicite proposta para administração do seu condomínio


A parte dos moradores também é essencial


Além dos zeladores, porteiros, pessoal da segurança e conselho fiscal e proprietários das unidades, a missão dos moradores também deve ser exercida de forma exemplar.


A vida corrida, a idade de cada um, o tempo em que convivem com os demais e as outras atribuições e responsabilidades de cada morador não justificam abandonar a coletividade.


Quando alguém opta por morar num condomínio deve ter em mente que terá que obedecer algumas regras e participar ativamente contribuindo para o bem-estar de todos.


O primeiro aspecto é a participação nas assembleias.


São nestas reuniões que são tomadas as decisões que impactam diretamente na vida de todo mundo.


É, também, a melhor forma de fiscalizar e avaliar as atividades, tanto do síndico, quanto da administradora.


Em algumas ocasiões, se o morador não for proprietário, ele precisará de uma procuração para ter direito a voto.


Moradores devem, ainda:


- Acompanhar relatórios mensais, comunicados oficiais e extra oficiais;


- Pagar as taxas condominiais nos respectivos prazos de vencimento;


- Ficar de olho para ver se as regras de segurança estão sendo cumpridas pelos funcionários; contratados e prestadores de serviço;


- Observar e cumprir os acordos estabelecidos;


- Instruir crianças e demais usuários dos espaços comuns quanto ao respeito às normas internas. 


Fonte: TudoCondo





Copyright © - Todos os direitos reservados.